Ceará é confirmado como zona livre de Febre Aftosa sem vacinação

41

Portaria do Ministério da Agricultura e Pecuária confirmou o Ceará como Zona Livre de Febre Aftosa sem vacinação. Além do Ceará, outros 20 estados brasileiros também foram confirmados como zona livre, conforme documento publicado no último dia 30 de abril no Diário Oficial da União (DOU).

A campanha de vacinação contra a Febre Aftosa segue em andamento no Estado. O prazo para a compra da vacina terminou na última terça-feira (30 de abril), mas os produtores devem declarar a vacinação até o dia 15 de maio. O secretário executivo da SDA, Marcos Jacinto, celebrou as metas de vacinação. “Mesmo atingindo o resultado, é importante mantermos vigilantes para cumprir a segunda etapa da campanha (apresentação da declaração). Essa fase é fundamental para chegarmos até o prazo com 90% do nosso rebanho vacinado”, destacou.

Durante a campanha, técnicos e colaboradores dos escritórios regionais, municipais e postos avançados da Ematerce, vinculada à SDA, trabalharam em força-tarefa para a vacinação contra a Febre Aftosa. A campanha é coordenada pela Agência de Defesa Agropecuária do Ceará (Adagri) e Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), que acontece em uma única etapa de forma emergencial.

O trabalho desempenhado pela Ematerce, vinculada à SDA, foi essencial para o sucesso da campanha, pontuou Marcos Jacinto. “Quero destacar o trabalho da Ematerce pelo trabalho desempenhado nesse período. E destaco também que nós da SDA fizemos um grande chamado com todas as nossas coordenadorias para mobilizar, acompanhar e apoiar os produtores rurais para adesão à vacinação”, frisou.

Febre Aftosa no Ceará

Na última terça-feira (30), o governador Elmano de Freitas já havia anunciado que o estado tinha conseguido alcançar a meta de comercialização e distribuição de vacinas suficiente para conquistar esse status, em live nas redes sociais.

A partir de agora, o Ceará fica livre da necessidade de vacinar anualmente o seu rebanho de bovinos e bubalinos e não precisará mais de campanhas de vacinação. Os produtores, por sua vez, deixam de ter a obrigação de comprar vacinas e declarar a imunização dos animais. Isso tudo graças ao trabalho em conjunto entre o Governo do Ceará, municípios, secretarias, sindicatos rurais e instituições do setor.

“Essa é uma grande conquista para os produtores cearenses. É resultado de um grande trabalho em conjunto com os Municípios, secretarias e entidades. A participação de todos contribuiu para uma mudança histórica em nossa pecuária. Será a última vez que vacinaremos o nosso rebanho contra a febre aftosa”, destacou Elmano de Freitas, em suas redes sociais. O chefe do Executivo Estadual também agradeceu a todos os servidores da Adagri, demais órgãos do Governo do Estado e parceiros pelo empenho nessa luta.

Foram parceiros da Campanha: Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), Superintendência Federal de Agricultura (SFA/CE), Secretaria do Desenvolvimento Econômico do Ceará (SDE), Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC/Senar), Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece), Associação dos Municípios e Prefeitos do Estado do Ceará (Aprece) e Secretarias de Agricultura municipais.

No Ceará, a Adagri coordena o Plano Estratégico de Retirada da Vacinação da Febre Aftosa, elaborado pelo MAPA. O Ceará já vem vacinando os rebanhos contra a Febre Aftosa desde março de 2003, cumprindo 41 etapas da vacinação.

 

Fonte: SDA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here