Sociedade civil em preparação à 35ª Conferência da FAO para a América Latina e Caribe

7


Em preparação à 35ª Conferência Oficial para a América Latina e o Caribe do Órgão das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), representantes de organizações da sociedade civil de diversos setores, que compõem a Aliança pela Soberania Alimentar dos Povos da América Latina e Caribe, estiveram reunidos no Panamá para realizar uma consulta e avaliação das políticas públicas trabalhadas pela FAO e dos documentos oficiais que serão discutidos na Conferência, em março, na Jamaica.


 


A CONTAG e a COPROFAM foram representadas pelo vice-presidente e secretário de Relações Internacionais da CONTAG, Alberto Broch, que também é o secretário geral da COPROFAM. A reunião aconteceu de 31 de janeiro a 3 de fevereiro, em um território autônomo de indígenas Kuna Yala, no Panamá, um povoado que está bastante envolvido nas ações e debates de soberania e segurança alimentar.


 


Segundo Broch, todos os países demonstraram grande preocupação com a possibilidade do aumento da fome no mundo. “Fizemos críticas profundas ao modelo de desenvolvimento. Citamos, por exemplo, a grande preocupação com os retrocessos nas políticas públicas, como está acontecendo no Brasil e em vários países do continente. Estávamos avançando na diminuição da fome, agora vemos uma chance real do aumento da fome em função desses retrocessos nas políticas de desenvolvimento e de fortalecimento da agricultura familiar”, avalia Broch.


 


Além desse tema, a reunião da sociedade civil no Panamá debateu a questão da soberania e segurança alimentar, das políticas públicas sociais e de fortalecimento da agricultura familiar, do modelo de produção, do envolvimento de mulheres e jovens, questões de gênero, a situação dos pescadores artesanais, a luta pela terra, a violência contra as mulheres e a criminalização dos movimentos sociais e sindicais, entre outros temas.


 


A partir de todo o debate, as organizações da Aliança construíram uma declaração que será lida na Conferência da Jamaica. “O documento destaca a importância de ser implementado um projeto de desenvolvimento rural sustentável e solidário, que há anos é defendido pela CONTAG. Também apresentamos sugestões ao subsecretário da FAO, responsável pela América Latina e Caribe, quanto às questões fundamentais que serão debatidas na Conferência”, explica o dirigente da CONTAG.


 


Broch acrescenta, ainda, que as organizações reconhecem os avanços do mandato do diretor-geral da FAO, José Graziano, o primeiro de origem da América Latina e Caribe, a comandar o órgão da ONU.


 


 


FONTE: Assessoria de Comunicação da CONTAG – Verônica Tozzi