Regionais da CONTAG seguem debatendo sobre os novos desafios para o MSTTR

6


Cumprindo o itinerário estabelecido a partir da 7ª Oficina do Planejamento Estratégico 2013-2017, começaram nessa segunda-feira (29), de forma simultânea em todo o Brasil, os Encontros Regionais da CONTAG. 


 


Na pauta, dirigentes e funcionários (as) do Movimento Sindical dos Trabalhadores (as) Rurais (MSTTR) debatem, entre outros temas, as ações de massa para 2016; mobilização contra a reforma da previdência; 22º Grito da Terra Brasil – GTB 2016; Marcha pela Reforma Agrária; Enquadramento Sindical da Agricultura Familiar; Sustentabilidade Político-Financeira; 12º Congresso Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais; e estratégias de participação do MSTTR nas Eleições Municipais.


 


“Estamos realizando quatro Encontros Regionais só essa semana. Na região Sul, em Santa Catarina, no Nordeste em Pernambuco, no Sudeste, em Minas Gerais, e semana que vem no Norte. Diretoria e assessoria da CONTAG estarão participando e contribuindo no debate desses eventos, com um olhar a partir da 7ª Oficina do Planejamento Estratégico 2013-2017 da CONTAG, realizada entre 15 e 18 de fevereiro em Brasília-DF. Levando em consideração que nosso Planejamento não pode ter como meta apenas a atual gestão, mas estabelecer rumos para a continuação da luta do MSTTR. Assim nossos Encontros Regionais, são momentos de debate, de análise, de reflexão, de fazer uma escuta para vocês dizerem se o caminho é por aí, e se não for, então que percursos devemos seguir na implementação do Projeto Alternativo de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário (PADRSS)”, destacou o presidente da CONTAG, Alberto Ercílio Broch, que junto a diretoria e assessoria da Confederação, esteve presente na abertura do Encontro da Regional Centro-Oeste, que teve início na manhã dessa segunda-feira (29), em Brasília-DF. 


 


Todos os debates estabelecidos nos Encontros devem levar em consideração os cenários e tendências da conjuntura atual, implicações, desafios e possibilidades para o movimento sindical.


 


Assim, o Movimento Sindical precisa interpretar este contexto, definir prioridades e identificar questões estratégicas para decidir como se posiciona e como vai agir. 


 


A incapacidade do Governo de fazer as reformas é outro ponto que deve ser avaliado pelo MSTTR, para que o Estado venha fazer as reformas necessárias e construir políticas que assegurem o fortalecimento da Agricultura Familiar, na perspectiva desse setor do campo, continuar produzindo alimentos diversos e saudáveis que abasteçam a mesa do povo brasileiro.


 


 


Programação


 


Centro-Oeste, de 29 a 03 de março, em Brasília, Distrito Federal;


Sudeste, de 01 a 03 de março, em Belo Horizonte, Minas Gerais;


Sul, de 2 a 4 de março em São José, Santa Catarina;


Nordeste, de 02 a 04 de março, Recife, Pernambuco;


Norte, de 07 a 10 de março, Ananindeua, Pará.