NOTA FETRAECE – JUNTOS, SOMOS RESISTÊNCIA!

7



A Direção Executiva da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares – FETRAECE, diante do resultado das eleições presidenciais ocorridas no dia 28 de outubro de 2018, vem manifestar junto aos trabalhadores rurais agricultores e agricultoras familiares da base dos seus 183 sindicatos filiados nossa preocupação com a garantia dos princípios democráticos no país e o respeito ao que está previsto na Constituição de 1988 com a eleição de Jair Bolsonaro do PSL.


Os 45 dias de campanha eleitoral foram marcados por profundas mudanças no seu formato, onde o principal veículo de propaganda das propostas dos candidatos deixou de ser o programa eleitoral veiculado pela TV e rádio e passou a ser as chamadas “redes sociais”, fugindo ao controle das instituições regulatórias do processo eleitoral, que ora se mostravam incapazes, ora omissas, em relação aos crimes eleitorais cometidos no submundo dessas redes. Este fenômeno provocou um crescente acirramento dos ânimos, estimulado pelas notícias falsas disseminadas nas redes sociais, por discursos e posturas radicais de incitação ao ódio, a intolerância, a vingança, gerando um clima de violência social que coloca em risco as bases democráticas da sociedade brasileira.


O Presidente, democraticamente eleito por 39,24% dos brasileiros aptos a votar, ao longo de 28 anos como parlamentar, sempre votou contra os interesses dos trabalhadores e trabalhadoras e, durante toda sua campanha, se posicionou claramente comprometido com as elites do país que busca recuperar sua capacidade produtiva retirando os direitos trabalhistas, cortando investimentos em políticas sociais voltadas às populações mais carentes, mantendo congelamento dos investimentos em saúde e educação, comprometendo a soberania nacional com a entrega do pré-sal e das reservas petrolíferas aos estrangeiros através da privatização da Petrobrás, da Eletrobrás, do Banco do Brasil, da Caixa Econômica, entre outras estatais. Aliado a isso, manifestou na sua trajetória parlamentar e durante a campanha uma explicita aversão a direitos humanitários amplamente consagrados em tratados internacionais que buscam por fim a discriminação e às desigualdades em relação as mulheres, aos negros, aos indígenas e LGBTs, enquanto exaltava a Ditadura Militar e a tortura.


Diante disto, a Diretoria Executiva da FETRAECE alerta a categoria para os grandes desafios e riscos que estão por vir a partir da implementação de um plano de governo que a população não conhece, tendo em vista que o presidente eleito não participou de debates no 2º turno, que é o espaço próprio para se posicionar, diante da população sobre questões centrais e estruturantes para o desenvolvimento do nosso país e para a superação da crise econômica brasileira.


A FETRAECE reafirma seu compromisso e sua missão de lutar pela reforma agrária e pelo fortalecimento da agricultura familiar, ampliando o diálogo com a nossa base e com as organizações da sociedade comprometidas com a democracia e com a classe trabalhadora na proposição e defesa das pautas sociais, ambientais e trabalhistas e na resistência contra o retrocesso e a retirada de direitos.


A FETRAECE continuará seu caminho de luta coletiva, conclamando os sindicatos filiados, aos trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade a permanecerem mobilizados e motivados a lutar pela garantia de nossos direitos e pela democracia.


 


Viva a classe trabalhadora!


Viva a FETRAECE!


Viva os Sindicatos e os Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares!


 


 


DIREÇÃO EXECUTIVA DA FETRAECE