Grau de severidade da seca se agrava no Ceará

7


 


O Monitor das Secas, serviço de monitoramento da estiagem divulgado pelo governo federal, traz um alerta para o Ceará. De acordo com o acompanhamento mensal atualizado nesta quinta-feira (16), apesar de chuvas acima da média em algumas áreas do Estado em julho deste ano, houve uma piora no grau de severidade. No Sul (Cariri) e Centro a condição se agravou, com aumento da seca grave e seca moderada.


 


Além disso, aponta o Monitor, no Norte do Ceará surgiu uma área de seca fraca. Por isso há a indicação de seca de curto prazo nessa região. Já no extremo noroeste do Estado, ainda permanece uma área sem seca.


 


O relatório mostra que, em apenas um mês, a situação se agravou. Comparando-se o gráfico atual com o do mês de junho, observa-se que numa ampla área na região Norte, são observadas condições sem seca relativa. Agora, a situação mudou.


 


O Monitor de Secas é um processo de acompanhamento regular e periódico da situação da estiagem no Nordeste, cujos resultados consolidados são divulgados por meio do Mapa do Monitor de Secas. Mensalmente informações sobre a situação são disponibilizadas até o mês anterior, com indicadores que refletem o curto prazo (últimos três, quatro e seis meses) e o longo prazo (últimos 12, 18 e 24 meses), indicando a evolução da seca na região.


 


O serviço tem como objetivo integrar o conhecimento técnico e científico já existente em diferentes instituições estaduais e federais para alcançar um entendimento comum sobre as condições de seca, como: sua severidade, a evolução espacial e no tempo, e seus impactos sobre os diferentes setores envolvidos. O Monitor facilita a tradução das informações em ferramentas e produtos utilizáveis por instituições tomadoras de decisão e indivíduos, de modo a fortalecer os mecanismos de monitoramento, previsão e alerta precoce.


 


 


Matéria do Diário do Nordeste