Curso de Política Agrícola inicia com análise da conjuntura

7


Nessa semana, de 25 a 29 de abril, a CONTAG sedia o 2º módulo do Curso de Política Agrícola e já inicia com um profundo debate sobre a conjuntura política no Brasil e no mundo. O jornalista Leandro Fortes contribuiu com o momento e trouxe elementos para a análise. “Quando discutimos conjuntura é preciso avaliar o período anterior para saber o que está acontecendo. Nada acontece por acaso.”


 


Para Fortes, o PT falhou ao não formar cidadãos políticos. Pelo contrário, formou consumidores capitalistas. “Houve uma despolitização da população brasileira e criou um colapso político absoluto. A direita brasileira recebeu de presente esse processo e a direita brasileira é extremamente competente.”


 


Quanto ao apoio da grande mídia ao golpe, o jornalista ressaltou que existe sim um interesse das grandes empresas de comunicação na retirada da presidente Dilma Rousseff do poder. “Os grandes meios de comunicação se odeiam, mas se unem em defesa de um propósito, como foi para derrubar o governo Dilma.”


 


Por outro lado, também houve incompetência política do atual governo que deixou a crise aumentar. “Como chegamos a um ponto onde um governo, depois de quatro mandatos, não tem votos suficientes para barrar um processo de impeachment no Congresso Nacional? Não foi feita política. Vivemos um momento político muito grave. O que vem por aí é coisa muito ruim. Vão realimentar a mídia com dinheiro, mexer nos direitos trabalhistas, mexer no SUS. Não há expectativa de Temer investir na saúde pública porque ele é aliado das seguradoras de saúde. Então, o cenário é de desqualificar o SUS, acabar com direitos trabalhistas, e vão quebrar a espinha dorsal dos movimentos sociais e sindical. Hoje, o que nos resta é a manifestação popular. Nos resta gritar para o mundo o que está acontecendo e a CONTAG tem um papel fundamental nesse processo.”


 


Segundo Fortes, temos que aproveitar os espaços para discutir política, inclusive discutir com os nossos filhos e filhas. “Temos tempo e oportunidade de nos recompormos até as próximas eleições. Mas eles estão também se organizando. Eles comandam a mídia, o comércio, a indústria e o campo. A democracia está escorrendo pelos nossos dedos. O Brasil é uma das nações com a maior democracia no mundo. A fase do otimismo acabou. Temos que nos organizar para minimamente enfrentar essas pessoas e o golpe que está em curso. Essa crise não surgiu do nada, é consequência de uma série de equívocos. Os movimentos sociais serão fundamentais para a luta que se inicia.”


 


O curso continua no período da tarde desta segunda-feira (25), quando serão iniciados os conteúdos da formação na área da Política Agrícola voltados para o secretários(as) da pasta nas Federações filiadas. Os temas a serem trabalhados ainda hoje serão a agenda política internacional do MSTTR no âmbito da Agricultura Familiar e a análise crítica da Política Agrícola brasileira e suas relações com a Política Agrícola internacional, com cenário atual e perspectivas. O painel contará com a participação do ministro das Relações Exteriores, Milton Rondó Filho.


 


Nos próximos dias, serão trabalhados temas referentes a acordos e negociações comerciais, política de financiamento e seguridade na agropecuária, o sistema de formação de preços e acesso aos mercados no Brasil, a ação do MSTTR frente aos desafios da política agrícola nacional e internacional, entre outros temas.


 


FONTE: Assessoria de Comunicação CONTAG – Verônica Tozzi