CONTAG participa da construção de indicadores para monitoramento das políticas agroambientais na América Latina e Caribe

5


 


 


Promover a viabilidade econômica e a sustentabilidade na produção de alimentos, com a conservação do meio ambiente e dos recursos naturais para reduzir a pobreza rural e a insegurança alimentar, bem como os impactos das mudanças climáticas: esse é o principal objetivo do Projeto de Fortalecimento de Políticas Agroambientais assinado pelo governo brasileiro e pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) ainda em 2012, no âmbito da Conferência Rio+20 e que está chegando ao fim neste mês de agosto de 2018.


 


 


Para apresentar os resultados do projeto e discutir os desafios para a continuidade dos processos de implementação das políticas agroambientais, foi realizada hoje (24) no Ministério das Relações Exteriores uma reunião em que foi discutido também o documento final regional que sistematizará os indicadores de monitoramento das políticas agroambientais em toda a América Latina e Caribe.


 


Por ser implementado pelo governo brasileiro, com apoio do Escritório Regional da FAO para América Latina e Caribe, a pauta do Projeto de Fortalecimento de Políticas Agroambientais foi ampliada para outros países da região – além do Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, México, Panamá, Paraguai e, recentemente, El Salvador. Foram desenvolvidos estudos em cada um desses países e construídas, em 2015, as Diretrizes Voluntárias para Políticas Agroambientais na América Latina e Caribe. Além disso, foi proposto também elaborar indicadores para monitorar o progresso da implementação dessas políticas nos países da região, em convergência com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas, que devem ser atingidos até 2030. 


 


No Brasil, a elaboração desses indicadores conta com a participação de representações da sociedade civil, entre elas a CONTAG, que contribuiu com propostas relativas à agricultura familiar alinhadas com os ODS, especialmente o Objetivo 2, que trata da Fome Zero e Agricultura Sustentável. O caminho para a construção dessas referências foi longo e incluiu a realização de oficinas nacionais e regionais nos anos de 2016 e 2017 para discutir, elaborar e apresentar os indicadores. 


 


 “A agricultura familiar tem papel fundamental na produção de alimentos saudáveis, na preservação do meio ambiente, no desenvolvimento rural sustentável e solidário e na soberania e segurança alimentar e nutricional”, destaca o vice-presidente e secretário de Relações Internacionais da CONTAG, Alberto Broch. “Entre tantos retrocessos pelos quais estamos passando, este foi um momento importante, pois destaca a necessidade de que os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável sejam atingidos pelo Brasil e demais países da região da América Latina e Caribe”, completa o dirigente.


 


FONTE: Assessoria de Comunicação CONTAG – Lívia Barreto