CONTAG debate pauta do Plano Safra da Agricultura Familiar, em reunião por meio de plataforma virtual promovida pela FPAF

7


Na quinta-feira (18 de março), a CONTAG participou de reunião por meio de plataforma virtual realizada pela Frente Parlamentar da Agricultura Familiar (FPAF), para avaliar o atual e discutir perspectivas para o próximo Plano Safra da Agricultura Familiar.


 


Além do presidente da CONTAG, Aristides Santos, do vice-presidente e secretário de Relações Internacionais, Alberto Broch, de representações das Regionais (Sul – Carlos Joel, Nordeste – Erivam Silva, Sudeste – Alaide Bagetto e Centro-Oeste – Orlando Luiz) e da assessoria da Confederação, contribuíram com o debate, os deputados federais Heitor Schuch, atual presidente da FPAF, Carlos Veras, Vilson da FETAEMG, Bira do Pindaré e Alceu Moreira, e o deputado estadual do Rio Grande do Sul, Helton Weber. Representantes da Unicafes e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e do Ministério da Economia também estiveram presentes.


 


Entre os vários pontos discutidos na reunião, entraram em debate: o pouco recurso para o Pronaf Investimento e equalização; a urgência para baixar as taxas de juros em pelo menos 1% das atuais taxas aplicadas ao Pronaf; aumentar os recursos equalizados por meio do BNDES; priorizar e qualificar a assistência técnica e extensão rural; criar um fundo emergencial para as cooperativas de produção, principalmente para fins de capital de giro, pois estão tendo dificuldade nesse período de pandemia; ampliar os recursos do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), mantendo no mínimo o volume de recursos do ano passado; revisar o teto de renda da agricultura familiar, pois em função da elevação dos preços dos produtos agrícolas é preciso uma reavaliação; e fazer o lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar separado do agronegócio.


 


Sobre a redução das taxas de juros, o presidente do Frente, deputado Heitor Schuch, pontuou: “os custos de produção tiveram aumento considerável no último ano, puxado principalmente pela alta no preço dos combustíveis, e as taxas de juro precisam estar de acordo com a realidade do setor”.


 


Ao final, o MAPA sinalizou que terá dificuldade para negociar a redução das taxas de juros e também para aumentar o volume de recurso da Agricultura Familiar.


 


A CONTAG seguirá na mobilização para garantir que a Agricultura Familiar seja priorizada pelo atual governo. “Vamos ver se no diálogo com a ministra Tereza Cristina (MAPA) e mobilização junto aos agricultores e agricultoras familiares, a sociedade e as cooperativas, possamos garantir mais recurso, pois no atual Plano Safra foi pouco, o que tem comprometido a produção da agricultura familiar, que é essencial para enfrentar a pandemia”, destacou o presidente da CONTAG, Aristides Santos.


 


Nos próximos dias a CONTAG entregará a pauta e na sequência iniciará as rodadas de negociação com o governo federal.


 


FONTE: Comunicação CONTAG – Barack Fernandes