Ceará será representado por cerca de 1400 agricultoras na 5ª Marcha das Margaridas em Brasília

7



A Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece), os sindicatos municipais filiados e entidades parceiras, realizaram a mobilização de cerca de 1400 mulheres agricultoras familiares para participarem da 5ª Edição da Marcha das Margaridas, que ocorrerá em Brasília, nos dias 11 e 12 de agosto, no evento que é pensado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e todo o sistema sindical membro dela. Para o transporte, serão utilizados 30 ônibus.


A Marcha das Margaridas 2015 tem seu ponto alto nestes dias 11 e 12 de agosto com o ato nacional em Brasília, mas ela começou muitos meses antes, ou melhor, as margaridas nunca param de marchar. Foram realizados diversos seminários regionais no Ceará, oficinas de formação política, rodas de conversas, audiência pública, os sindicatos se empenharam em reuniões nos municípios para elaborarem junto da Fetraece a pauta de reivindicação, enfim, diversas ações foram realizadas até hoje, quando as margaridas cearenses se preparam para irem até a Capital Nacional.


As mulheres cearenses contam com o apoio de diversas organizações parceiras, todas com o objetivo que fortalecer a luta das mulheres por uma sociedade mais justa.


 


Expectativa


 


Para a secretária de Mulheres da Fetraece, Rosangela Moura, a expectativa é que a 5ª Marcha das Margaridas seja mais uma bela ação na expressão da luta das mulheres por uma sociedade igualitária, sem machismo, preconceito ou qualquer outro tipo de violência física ou moral. “A Marcha busca que as mulheres possam viver no campo da forma que sonhamos”, destaca Rosângela.


 


História


 


A primeira Marcha das Margaridas foi realizada no ano 2000.  A 2ª aconteceu em 2003. Em 2007 a 3ª Marcha floriu Brasília mais uma vez e, em 2011, milhares de mulheres marcharam pela 4ª Marcha das Margaridas. O dia escolhido para a mobilização é sempre 12 de agosto, dia do assassinato de Margarida Maria Alves, presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras de Alagoa Grande, na Paraíba. A líder sindical foi brutalmente assassinada em 1983, aos 50 anos, vítima de um tiro de espingarda no rosto, crime encomendado por latifundiário que se viu ameaçado pela luta constante da trabalhadora. “É melhor morrer na luta do que morrer de fome”, afirmava Margarida Alves. Hoje, milhares de mulheres seguem seu exemplo de coragem e determinação e mantem vivos os ideais dessa forte batalhadora.


 


 


Comunicação


 


A Fetraece vai buscar repassar o máximo de informações possível durante a Marcha, como tem sido feito no decorrer da preparação. O site e as redes sociais terão atualizações constantes.


Por meio de ferramenta disponibilizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), o site da Fetraece vai transmitir ao vivo as principais atividades nos dias 11 e 12. Para isso, basta acessar www.fetraece.org.br, no corpo da página tem uma janela de vídeo em destaque com o título “5ª Marcha das Margaridas”, basta clicar e assistir ao vivo. Ainda terão notícias constantes com a participação das margaridas cearenses.


No final da matéria ou na parte de áudios do site, está disponível, inclusive para download, entrevista com Rosangêla Moura sobre a Marcha das Margaridas.


No que se referem as redes sociais, principalmente a FanPage no Facebook, terá postagem de tudo que ocorrerá na marcha e em tempo real. Assim como no Festival da Juventude, pela FanPage será possível conferir como vai a viagem das Margaridas do Ceará, deixando assim, toda a família tranquila.


 


Identificação


 


Todas as representantes cearenses estarão com camisa da marcha, bandeira, chapéu com fita identificando que é do Ceará, adesivos, lenço, crachá, faixas, entre outros itens.  


 


Mais informações:


 


Observação: Clique para abrir os arquivos


 


 


 


 


 


 


 


 


 


Assessoria de Comunicação da Fetraece – Janes P. Souza


Fotos: Janes P. Souza