CEARÁ – CUT elege nova diretoria para quadriênio 2015-2019 com inédita paridade de gênero

7


Os 528 delegados e delegadas do 13º Congresso da Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE) elegeram em chapa unitária, por unanimidade, na tarde deste sábado (20/6), a nova Direção Executiva da entidade para o quadriênio 2015-2019. O evento, realizado em Beberibe –CE, consagrou Francisco Wil e Silva Pereira como novo presidente da entidade, que tem à frente hoje Joana D’arc Barbosa Almeida. O 13º CECUT foi marcado pela inédita paridade de gênero na direção.


 


O presidente eleito ocupou, na atual gestão da CUT-CE, a vice-Presidência. Ele comanda ainda o Sindicato dos Metalúrgicos do Ceará (Sindmetal). Wil Pereira é metalúrgico desde 1997. Além de ter ocupado o cargo na executiva da CUT-CE, ele integra a executiva da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM/CUT).


A eleição da nova diretoria encerrou o CECUT-Ceará, que teve início na última quinta-feira (18). O evento ocorreu em um cenário político marcado por intenso cerco político desencadeado pelo conservadorismo no País contra o aprofundamento do projeto do projeto popular e democrático. Para o próximo quadriênio, a CUT-CE deve seguir a atual linha de atuação: reforçar a unidade com centrais sindicais parceiras, movimentos sociais e setores progressistas num estado de mobilização permanente e contínua ação de massas. A ideia é manter o projeto político de formação junto aos dirigentes sindicais com ampliação de diálogo com a sociedade; fortalecer a interiorização da CUT-CE; e continuar construindo de mãos dadas com os movimentos sociais uma frente popular e democrática articulada nacionalmente.


 


Discurso


Wil Pereira enfatizou um legado de conquistas alcançadas pela gestão de Joana Almeida e apontou que pelo menos três delas serão transformadas em “desafios” para o próximo mandato: um “1º de Maio” ainda maior; fortalecer a interiorização da Central; e ampliar a relação com os movimentos sociais. Em relação ao Dia do/a Trabalhador/a, o presidente eleito referiu-se à caminhada e ao ato político realizados em 2015, que levaram às ruas de Fortaleza mais de 6 mil pessoas, da Capital e Interior, mesmo sem atrações locais ou nacionais, como já ocorreu em edições anteriores.


“A relação com os movimentos sociais tem sido, para nós, uma aula. Essa aliança, fortalecida por Joana, é para ter vida longa, porque tem projeto e tem, acima de tudo, um compromisso com a classe trabalhadora”, avaliou Wil Pereira. O metalúrgico também avisou que manterá acesa e ampliará a parceria já existente com a base rural que, nesta edição do CECUT, chegou a quase 50%. E se pôs à disposição integral do movimento sindical cutista como um todo. “Serão 25 horas por dia, e não 24 horas, de dedicação ao movimento”, enfatizou.


O presidente eleito discursou à plateia esclarecendo, ainda, que chegou a defender a candidatura à reeleição de Joana Almeida. “Ela era a minha candidata e tenho orgulho dessa companheira de lutas”, disse Wil, acrescentando que “diálogo” será a palavra-chave na nova gestão. “O CECUT Ceará foi um momento para aprofundar a discussão dos projetos políticos em disputa e do papel da CUT nesse momento decisivo das lutas e do processo de consolidação democrática no País. Nos próximos quatro anos, vamos continuar criando condições para organizar, mobilizar e atuar desde nossas bases na defesa do projeto democrático popular que vem sendo construído no Brasil”, disse.


 


Joana Almeida despede-se


O último dia do 13º CECUT também marcou a despedida de Joana Almeida, que recebeu inúmeras homenagens e vai deixar a CUT-CE como a mais jovem sindicalista a presidir uma instância estadual da Central e a segunda mulher a liderar a entidade cearense – a primeira foi Rosa da Fonseca. Natural do Sertão dos Inhamuns, do município de Crateús, ela representava a Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece) quando foi eleita, em maio de 2012.


 


Joana Almeida destacou, durante a apresentação da chapa unitária, o orgulho de ter novos diretores e diretoras de vários ramos de atividade e com inédita paridade de gênero. “Com muito entusiasmo, comunico que o Ceará agora tem paridade na direção da CUT!”, anunciou. Entre os eleitos, há membros do ramo da sapataria, educação, serviço público federal, serviço público estadual, serviço público municipal, comércio, bancos, rurais e metalurgia.


 


 “Educação, trabalho e democracia”


O tema que pautou o CECUT-Ceará gerou debates, mesas-redondas e palestras que discutiram conjuntura nacional, democratização da mídia, projeto político-organizativo da CUT, aprofundamento da democracia e participação das mulheres cutistas na construção da paridade. Protagonizaram as discussões: Maria Godói, secretária nacional adjunta da CUT; Carmen Foro, vice-presidenta da CUT Nacional; Graça Costa, secretária nacional de Relações de Trabalho da CUT; Maria Aparecida Faria, secretária adjunta da CUT Nacional;Regina Cruz, presidenta da CUT-PR; Airton Santos, coordenador nacional de Atendimento Técnico Sindical do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (Dieese); Maria Frô, historiadora e educadora, ativista da educação para igualdade étnico-racial e blogueira; além de Leidiano Farias, membro da Direção Nacional da Consulta Popular;e Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras.


Este foi o quinto congresso das centrais estaduais em 2015, que se preparam para o 12º Congresso Nacional da CUT (CONCUT), que será realizado em outubro próximo. Também já definiram novas diretorias as centrais estaduais do Distrito Federal, Pernambuco, Alagoas e Acre.


 


Executiva Estadual


A executiva contempla todos os principais segmentos que se organizam dentro da Central no Estado, em 14 ramos de atividade, distribuídos em quase 300 sindicatos filiados. Veja a composição da diretoria executiva da CUT-CE, para o próximo quadriênio:


 


Presidência: Francisco Wil e Silva Pereira


Vice-presidência: Eduardo Honorato


Secretaria Geral: Carmem Santiago


Secretaria de Administração e Finanças: Helder Nogueira


Secretaria de Comunicação: Emanuel Lima


Secretaria da Mulher Trabalhadora: Maria Ozaneide de Paula


Secretaria de Formação: Lúcia Maria Silveira de Queiroz


Secretaria de Juventude: Adrieli Sousa


Secretaria de Organização e Política Sindical: Helenira Pinheiro


Secretaria de Políticas Sociais: Roberto Luque


Secretaria de Relações de Trabalho: Antônio Ricardo de Lima


Secretária de Saúde do Trabalhador: Hernesto Luz


Secretaria do Meio Ambiente: Lílian Araújo Pinto


Secretária pela Igualdade Racial: Gardênia Baima


 


 


 


Fonte: Raquel Chaves/CUT-CE


Foto: Oliane Silva Pinto