1º de Maio da CUT-CE: Mil militantes são reunidos na Conferência Estadual e Sindical e Popular

6



 


Com a participação de 1.000 dirigentes sindicais e militantes sociais, a Conferência Estadual Sindical e Popular, em Fortaleza, abriu a programação de atividades do 1º de Maio de Luta no Ceará. A Conferência foi realizada durante toda a manhã desta segunda-feira, promovida pela Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE) e a Frente Brasil Popular (FBP) – Ceará. O evento foi marcado pelo lançamento político do Congresso Extraordinário da CUT-CE e, ainda, do Plano Popular de Emergência da FBP, com a realização de debates e Grupos de Trabalho na sequência. A Conferência ocorreu na sede do Sindicato dos Bancários do Ceará, no Centro da capital..


 


Durante a abertura, o presidente da Central Estadual, Wil Pereira, lançou politicamente o Congresso, que vai ser realizado nos dias 9 e 10 de junho deste ano. Em seguida, convidou as representações das entidades e movimentos presentes para apoiarem a elaboração do Plano Popular de Emergência da FBP, que foi construído pela comissão operativa ampliada, com representações de todos os setores. Estiveram como palestrantes na Conferência: o diretor Nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), João Pedro Stédile; o diretor da Fundação Perseu Abramo, Artur Henrique Santos; e a presidenta da CUT-Minas Gerais, Beatriz Cerqueira.


 


Vários representantes da CUT e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), partidos político de esquerdas, sindicatos, federações e associações manifestaram-se na defesa da construção do modelo de luta proposto pela FBP, e em defesa da aposentadoria e dos direitos trabalhistas, ameaçados pelo governo golpista e ilegítimo de Michel Temer.


 


Plano Popular de Emergência da FBP


 


A Frente Brasil Popular apresenta suas propostas para restabelecer a ordem constitucional democrática, defender a soberania nacional, enfrentar a crise econômica, reverter o desmonte do Estado e a desnacionalização da economia, para salvar e aprofundar as conquistas históricas do povo trabalhador.  O Plano vem elencando pontos nos estados, como fazer uma construção coletiva da esquerda, principalmente apontando saídas e ações para tirar o Brasil da crise política e social sob a qual está mergulhado. A mesma crise que a direita instalou no País, com a retirada da presidenta Dilma Rousseff um ano atrás, para instalar um programa neoliberal que retira direitos e oprime a classe trabalhadora. As proposições contidas no Programa têm como objetivo inverter, no mais curto espaço de tempo, os indicadores econômicos, sociais e políticos que resultaram do golpe.


 


1º de Maio de Luta no Ceará e no Brasil


 


O mote articulador das manifestações este ano tem o slogan “100 ANOS DEPOIS: A LUTA CONTINUA. NENHUM DIREITO A MENOS”. Uma centena de anos atrás, a luta dos/as trabalhadores/as dava-se pela conquista de direitos básicos de proteção à saúde e em busca da promoção da dignidade humana. Hoje, a estratégia de resistência da classe trabalhadora é para garantir que esses direitos sejam ampliados, e não reduzidos.


 


Passada a manhã de debates e contribuições dos trabalhadores e trabalhadoras durante a Conferência em Fortaleza, a parte da tarde será dedicada ao ato público, seguido de caminhada em defesa da aposentadoria e dos direitos trabalhistas. Um ato unificado das centrais sindicais CUT, CTB, CSP Conlutas, Intersindical, CSB, Força Sindical, Nova Central e das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, com concentração a partir das 15 horas, no Aterro da Praia de Iracema.


 


Junte-se a nós contra a retirada de direitos! Venha pras ruas defender sua aposentadoria e seus direitos trabalhistas!


 


 


 


Fonte: CUT-CE e Frente Brasil Popular-CE


Foto: Marcos Adegas/Fetamce